mapa

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Solidão



Solidão


De repente você está sozinho. É inevitável, por mais popular que você possa ser, por mais pessoas que você conheça, por mais que te liguem de dez em dez minutos, aconteceu! E agora tudo que lhe resta é você mesmo, não há mais ninguém além de você. Já reparou como somos inúteis sozinhos? A utilidade é algo social, eles te criaram para ser útil socialmente, mas sozinho você não presta para nada, sozinho não tem mais porque usar as máscaras, elas caem, sozinho você tem que se enfrentar, a solidão é um espelho e por isso ela é tão triste, e ao mesmo tempo tão maravilhosa!
Alguns filósofos e psicólogos, sempre insistem na morte como maior medo do homem, mas eu acrescentaria algo a essa inteligente observação, o medo não é da morte em sí, mas o medo é da solidão, pois a morte implica em abandonar tudo, deixar todos seus amigos, parentes, amantes, obejetos e talvez até você mesmo, seu corpo, alguns aspectos da sua personalidade como o ego, o que lhe sobra? Você fica nú, sozinho, a morte é um encontro inevitável com a solidão, por isso é temida, ninguém pode passar por isso a não ser você, é a sua morte, você deve partir e não haverá segurança alguma, você parte para algo insondável, parte para um lugar desconhecido, mesmo se estiverem segurando sua mão, mesmo se estiver rodeado de pessoas dando a você muito amor, você partirá, a mão que eles seguram não mais será sua, e a solidão te dominará!
Todos nós passamos pela solidão, sem excessões, as vezes nos sentimos sozinhos, mesmo rodeados de pessoas, lá está você no dia do seu aniversário, rodeado de presentes, parentes, amigos, beijos e abraços e de repente sente o doce toque da solidão, um lembrete de que você está sempre sozinho, dentro de você não há ninguém além de você mesmo. Encarar isso é doloroso, mas ao mesmo tempo muito libertador, depois que nos acostumamos com a idéia da solidão sentimos uma certa liberdade, uma liberdade que apenas a verdade pode nos trazer, aceitar verdades é adquirir liberdade, e aceitar a solidão é uma das maiores liberdades que um ser humano pode desfrutar. Liberte-se agora, desista de tentar preencher o vazio da solidão, essa lacuna sempre estará aí, nem amigos, nem pais, nem amantes, nem filhos, nem Deus, nada poderá preencher este vazio, você pode se enganar por fora, mas quando encosta a cabeça no travesseiro a verdade aparece. Na verdade quando nos enganamos é ainda pior, pois isso surge de uma maneira ou de outra, ou vai pela compreenção ou vai pelas dores, tudo o que reprimimos volta de uma maneira dolorosa, como uma depressão, como aquele medo de morrer que te domina assim que acorda, tudo isso é sinal de que você está reprimindo a verdade da solidão.
Medite, sinta esse vazio agora mesmo, ele pode parecer doloroso a primeira vista, mas entenda que esse vazio é só seu, ele é sua parte mais íntima, ninguém poderá compreendê-lo além de você, ele é um presente de Deus e apenas você poderá desembrulhar o pacote, é a chave de sua alma, sua individualidade, dentro deste vazio nada faz sentido, não precisa fazer sentido, não precisa ser socialmente útil, não precisa da mente, nem das palavras, nem de nada, as palavras são criadas para comunicar aos outros uma idéia, as vezes elas nos ajudam em solidão a organizar nossas idéias, mas nada além disso, dentro deste vazio elas se tornam inúteis, pois existe algo muito maior, o sentir, o experenciar, esse vazio tem o tamanho do universo, existe muito a ser descoberto por lá, mas isso só você poderá explorar e entender, não existirão palavras para descrever, nem imagens nem cheiros, nem sons, nem nada.
Depois de experenciar a solidão, ela se torna viciante, você primeiro se encara, luta em vão contra você mesmo, depois desiste da luta e aceita a derrota, e tudo que lhe resta é o vazio, neste estágio nos sentimos bem, nos sentimos únicos e verdadeiros, estamos sendo finalmente sinceros conosco! Depois tudo volta ao normal, você tem uma vida social, precisa das palavras para comunicar, precisa dos amigos para rir juntos, mas agora você está consciente de sua solidão e por vezes o ego se entristecerá, pois ele saberá do tamanho de sua inutilidade, ele sabe que perdeu, sabe que está praticamente morto e irá te perturbar sim! Não há como fugir, Jesus Cristo, Buda, Jó, Lao Tsé e outros grandes mestres passaram por isso, você também passará ao seu modo, esta é a tristeza da qual você nunca fugirá, a verdade liberta, mas dói! Ela liberta o Eu Superior do ego, e dói no ego, como todos temos ego, todos sentiremos isso, esta é a tristeza de ser livre, ser livre implica em ser sozinho. Entendam bem, não digo para não casar, para não ter amigos, para não viver em sociedade, se isolar no alto de uma montanha ou se fechar dentro de você mesmo é covardia, é temer a vida! Estou dizendo que ser livre implica em ser sozinho, pois mesmo com as pessoas e com a sociedade, estamos sozinhos, você não joga fora as máscaras, mas sabe o momento certo de vestí-las e tirá-las, sabe o momento certo em ligar de desligar o ego, agora você é senhor do seu ego, você o domina e não permite mais que ele te domine! Espero que entendam muito bem isso, pois este é realmente um desafio para todos nós, não lutar contra o ego mas sim dominá-lo. O ego é uma criança mimada que quer atenção, se você luta contra ele, você o dá a atenção de que ele precisa e ele se infla, quanto mais você luta contra, mais alimenta, para vencer o ego, devemos deixar que ele atue nos momentos oportunos, nos momentos inoportunos, quando ele nos entristece, apenas ignore-o. É como ignorar uma criança que faz birra, ela logo para e desiste, mas se você alimenta suas vontades ela se tornará um adulto birrento e mimado, um fracassado total!
A dor da solidão é um presente que te faz sentir vivo, ela é o choro de todos os mestres. Você notará que está sozinho, as pessoas gostam de você, mas não te enxergam mais como antes, você está lá, mas está desligado, este desligamento é doloroso, você se sente um inútil, sem respeito ou conhecimentos, eles se aproximam para pedir conselhos, esperam sua aprovação, mas não estão mais com você, é inexplicável, é doloroso demais! Haverão muitos momentos de dor, chore essa dor! Não a ignore! Todos os mestres choraram essa dor, mas por fim sossegue seu coração e sinta sua liberdade, e assim se sentirá, mesmo que por um breve momento, livre do ego, livre do medo da solidão, pois você terá aceitado ela, e finalmente livre do medo da morte, eu diria que você se liberta da própria morte.
Na minha opinião, não existe nada mais apropriado para descrever a dor e a beleza da solidão do que este poema de Lao Tsé:

O Aparente Fracasso do Homem Espiritual

Renunciai à vossa pretensa cultura,

E todos os problemas se resolvem.

Oh! Quão pequena parece à diferença entre o sim e o não!

Quão exíguo o critério entre o bem e o mal!

Como é tolo não respeitar o que merece ser respeitado de todos!Alinhar ao centro

Oh solidão que me envolve todo!

Todo o mundo vive em prazeres como se a vida fosse uma festa sem fim,

Como se todos vivessem em perene primavera!

Somente eu estou só... Somente eu não sei o que farei...

Sou como uma criança que desconhece sorriso...

Sou como um foragido sem pátria nem lar...

Todos vivem na abundância, somente eu não tenho nada...

Sou um ingênuo, um tolo. É mesmo para desesperar...

Alegres e sorridentes andam os outros!

Deprimidos acabrunhado ando eu...

Circunspetos é ele, cheios de iniciativas!

Em mim, tudo jaz morto...

Inquieto, como as ondas do mar, assim ando eu pelo mundo...

A vida me lança de cá para lá, como se eu fosse uma folha seca...

A vida dos outros tem um sentido, e eu não tenho uma razão-de-ser....

Somente a minha vida parece vazia e inútil;

Somente eu sou diferente de todos os outros,

E, no entanto - sossega meu coração!

Tu vives no seio da mãe do Universo.


Tao Te King.
Lao Tsé

3 comentários:

xiriflus disse...

Hola: He visto que es seguidor de mi blog, por eso he venido a saludarle y decirle que será siempre bienvenido. Gracias!

Ne disse...

Medo de morte? Não sinto isso... (Só espero deixar dinheiro suficiente para pagar meu enterro e não ser um custo aos meus amados)

Morrei, algumas pessoas chorarão, mas o tempo passa, tudo passa, minha morte não terá mais importância... Também acho que a solidão não doi... Solidão não é triste, assim como viver não é triste.

"Dominar vc mesmo" é algo que não entendi. Vc diz tentar enquadrar/controlar nossos proprios sentimentos/desejos/nós mesmos? uhmm... Somos o que somos. Vc pode viver isso simplesmente... Mas afinal, vc é vc e é vc quem decide como viver sua vida...

Anônimo disse...

Aprecio muito a filosofia ensinada pelo OSHO. Acredito que seus ensinamentos traduzem de uma forma atual o que necessitamos saber para termos uma vida mais equilibrada. Nos dá respostas a varias perguntas as quais não encontramos de forma simples e objetiva nas religiões. Enfim gostei muito deste artigo e creio que tem mto haver das coisas que OSHO prega. Evelise/Curitiba/29/03/09