mapa

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Amor e Anarquia



Eu estive a muito tempo planejando este texto, pois queria escrevê-lo com uma certa paixão, estive esperando por um momento de inspiração e este momento chegou agora, durante uma conversa pelo msn com um amigo.
Pretendo expressar neste texto todo meu ideal, tudo aquilo que me trás esperança como ser humano e espero do fundo de meu coração que consiga cutucar seus corações de uma forma ou de outra, não quero que me compreendam, quero instigá-los, quero provocar algo aí dentro.

Imaginem uma sociedade livre das leis, livre das autoridades, sem reis, sem princesas, sem presidentes sem governo algum! Uma sociedade que te diga: Você pode existir do jeito que é!
Sem padrões de moda, sem padrões de beleza, sem preconceito racial ou preconceito algum. Você pode ser o que quiser nesta sociedade, não há uma força superior para regulamentar o que você deve ou não fazer, pode ler o que quiser, estara livre para amar quem quiser e onde quiser, esqueça a moral humana, esta sociedade seria totalmente imoral, porque simplesmente dentro dela você não teria malícia, você não precisaria ser malicioso, não há ciúmes nem inveja, só existe um sentimento de igualdade. Isso é anarquia, é igualdade, mas não imposta, onde todos devem vestir a mesma roupa e comer as mesmas coisas, uma igualdade em liberdade, todos sentem-se igualmente livres! Se todos sentem-se iguais, não há porque passar o outro para trás, seria tolice, seria como passar a sí mesmo para trás, isso é consciência, você é igual na diferença! Uma sociedade anarquista é uma sociedade sem ego, onde todos aceitam todos como são, e principalmente se aceitam como são! Sem repressão, apenas aceitação e aceitação é o amor! Quando aceitamos as pessoas sem o desejo de mudá-las estamos amando, amar é deixar ser, amar a sí mesmo é se permitir fazer o que se tem vontade, se permitir errar sem ter culpa, amar ao próximo é aceitar o próximo simplesmente, você o aceita como ele é, ele erra com você, mas você não o perdoa, porque antes disso você o aceita, sabe que ele é humano, e aceita o erro dele assim como aceita o seu, a palavra perdão perderia o sentido! Em uma sociedade anarquista não haverá pecado nem certo e errado, não precisamos disso! Quem ama e aceita o próximo não precisa saber o que é certo ou o que é errado, não precisa de um deus ditando isso, não precisa de um filósofo explicando isso, na verdade quem ama sente isso no coração. O amor é a única religião, é o único governo, e ele não governa por imposição, ele te preenche o coração e te faz pleno e completo, não há lacunas para Deus ou para iluminação, todos são deuses iluminados!
Agora você olha a sua volta e compreende o quão distantes estamos deste sonho que acabo de descrever, neste momento sua mente está criando ou já criou um monte de argumentos que certamente quebram esta utopia ao ponto disso tudo parecer engraçado! A mente certamente argumentará, a sociedade já cuidou para que esses argumentos estejam aí agora, os poderosos já implantaram os argumentos na sua cabeça, desde o jardim da infância você aprendeu isso! O primeiro passo para viver nesta utopia é deixar de chamar o anarquismo de utopia, é aceitá-lo como verdade! É parar com a razão da sua mente e seguir o coração! Só o coração sabe da verdade e a verdade é a mesma para todos, não existe uma verdade diferente para mim, existem percepções diferente! Posso perceber a gravidade de um modo diferente que você, mas ela é exatamente igual para nós dois!
Em essência somos todos bons, todos puros, com o tempo a sociedade nos corrompe, nos envenena! Os professores nos ensinam a ser boas crianças, a dividir, a não brigar, mas crescemos e vemos esses mesmos adultos fazendo guerras, matando, roubando e sendo egoístas de todas as formas. Você é passado para trás por alguém e já começa a mudar. Te enganaram, te ensinaram a ser bonzinho e o que você ganhou com isso? Absolutamente nada! Estamos acostumados com as recompensas, somos educados como os animais, na base da recompensa e da punição, daí você cresce e descobre que não há uma recompensa quando você dá esmolas para um mendigo, e nem uma punição quando você rouba. Daí criamos Deus para punir e recompensar assim como nossos pais faziam. Grande falha! Ensinamos pela razão e esquecemos do coração o resultado só poderia ser essa porcaria toda. Tudo isso é um lixo coletivo que foi vomitado nas nossas bocas desde a infância, uma grande hipocrisia. Fomos enganados sim! Daí surge a maldade, burlamos as leis de uma maneira ou de outra, como uma forma de estar acima disso tudo! Ensinam o cara a dividir tudo, mas ele sai nas ruas para pedir dinheiro enquanto o "filhinho de papai" passa exibindo-se com um lindo tênis da moda. Onde está o "vamos dividir"? Ensinam o cara a não se meter em brigas porque é feio brigar, daí ele apanha todos os dias dos valentões na escola e ainda vê a garotinha pela qual ele é apaixonado saindo com os mesmos valentões que arrancaram sangue de seu nariz. Daí ele se pergunta: Onde está o "Papai do céu gosta dos meninos bonzinhos"? Pro inferno! Ele entra na escola armado e se suicida após matar todo mundo. Conhecemos essas histórias. A sociedade corrompe, porque promete algo que não pode nos dar, nos sentimos frustrados, todos nós passamos pela frustração, pessoas sem estrutura emocional, simplesmente sucumbem. A resposta está no amor, na anarquia!
Quando amamos não queremos disputar, simplesmente aceitamos nossa situação, não nos sentimos enganados, não queremos vingança contra um indivíduo em específico, ele também é um pobre fracassado e está sendo apenas um reflexo de uma sociedade hipócrita, nós queremos vingança contra toda uma sociedade!
Isso mesmo, queremos vingança, todos sentem isso em seus corações, todos estão revoltados por dentro, porque todos fomos reprimidos! Mas o erro está no direcionamento desta vingança, direcionamos ela a alguém, temos raiva de alguém, alguns direcionam ela na forma de preconceito, machismo ou racismo contra algum grupo em específico: "Se fui assaltado por um negro, vou odiar a raça e pronto, problema resolvido, agora sei quem são os culpados por toda a violência"
A revolta não deve ser direcionada desta maneira, todos estamos no mesmo barco, a vingança deve acontecer contra todo o nosso sistema político, enquanto eles conseguirem te manter pensando que a anarquia é apenas uma utopia, você continuará direcionando sua revolta para seus semelhantes, é isso que a sociedade quer, quer que você permaneça cego.
Mas como se vingar de toda uma sociedade? Simplesmente ame-a! O amor é a vingança! Não caia no jogo! Comece por dentro, se você é capaz de amar a sí mesmo, se aceitar exatamente como é, então não haverá motivos pra se revoltar contra o outro, agora imagine todos amando e aceitando, não haverão intrigas, sem intrigas o sistema quebra! Qual a utilidade de um presidente se tudo já está em ordem? Pra que servirá um policial se ninguém tem desejo de roubar? Qual a função de um padre se todos já tem amor e felicidade no coração? As igrejas seriam abandonadas! O sistema irá falir quando todos souberem se amar!
Por isso eu digo, amor é aceitação, em um nível global, teremos uma anarquia espontânea, uma revolução sem violência. No começo será difícil, você se sentirá passado para trás, mas o que realmente importa está dentro do seu coração e isso ninguém pode corromper! O sistema apenas camuflou e entenrrou seu amor, mas ele ainda está aí! Eu não posso e não quero mudar o mundo, posso e quero mudar a mim mesmo. Cada um faz sua parte! É incrível como eles insistem no poder do seu voto dizendo que ele faz a diferença, mas não ensinam que se apenas amar, você também faz a diferença! Na verdade votar não faz diferença, todos os partidos são podres só pelo fato de existirem, eleger alguém para te representar é se auto-declarar incapaz de ser responsável pela sua própria sociedade. Você faz a diferença quando ama, quando sorri, quando é feliz, quando abraça ou beija e não quando vota! Seu maior voto é o voto de confiança no amor e na anarquia!

Imagine
John Lennon

Imagine there's no heaven,
It's easy if you try,
No hell below us,
Above us only sky,
Imagine all the people
living for today...

Imagine there's no countries,
It isnt hard to do,
Nothing to kill or die for,
No religion too,
Imagine all the people
living life in peace...

Imagine no possessions,
I wonder if you can,
No need for greed or hunger,
A brotherhood of men,
imagine all the people
Sharing all the world...

You may say I'm a dreamer,
but Im not the only one,
I hope some day you'll join us,
And the world will live as one

3 comentários:

Ne disse...

Engraçado como a vida é cheia de coicidências... Outro dia, eu e meu namorado estavamos conversando sobre um livro que ele estava lendo (Utopia) e ele me falou como o livro descrevia o sistema ideal (desde do jurídico ao penitenciário), daí eu simplesmente disse, no ideal, nada disso seria necessário e todas as pessoas seriam boas. heheheeh

Nesse ponto, eu entro em contradição profunda; ao mesmo tempo que gostaria que as pessoas sentissem amor e respeito, gostaria de deixá-las livres dos meus desejos...

Cesão disse...

Sim, eu acho que você está totalmente correta neste ponto!
Um amigo meu me falou certa vez sobre os "10 mandamentos anarquistas". Eu acho isso algo totalmente paradoxal, se é mandamento não é anarquista! Se é ideal, não é sistema! Acho que somos capazes de viver sem mandamentos e sem sistemas!
Sua contradição é a contradição de todos, todos já estamos habituados a esta forma de vida, cogitar um mundo mais simples é difícil!
Sabe aquele negócio de "é tão simples que não pode ser verdade?"
Eu acho que é bem por aí...

Alexandre Fernandes Borges disse...

A palavra "barbárie" não te deve significar muita coisa para você. A palavra "romantismo", sim.