mapa

terça-feira, 23 de março de 2010

A não-violência

A violência é a forma mais primitiva de resolver nossos impasses, antes de inventarem as palavras, existia a violência. O homem primitivo lutava violentamente por uma posição social, por seu alimento, assim como os lobos lutam para definir quem é o alfa, assim como eles caçam. Então, não podemos negar nunca que a violência faz parte da natureza de nosso planeta.
Hoje a violência se dá de uma maneira mais amena, mais mascarada. Você não precisa mais caçar para se alimentar, não precisa olhar nos olhos de sua presa e ouvi-lá urrar de dor ao sentir sua lança penetrando seu coração, não precisa sair no soco com o semelhante para definir quem vai liderar o grupo, mas os seres humanos ainda comem carne, ainda lutam por liderança, muitas vezes até mesmo covardemente, "puxando o tapete". Isso tudo é primitivo e animalesco. É bem natural e o problema é que essa naturalidade é usada como um argumento para que tudo continue como está. Precisamos evoluir! Justamente por ser natural é que precisamos vencer isso, vencer a violência.
É difícil permanecer na não-violência, simplesmente porque tudo está contra a não-violência. Quando nos tornamos mais pacíficos, certamente tentarão nos passar para trás, ainda estamos vivendo em um mundo onde bondade é confundida com fraqueza. Portanto, não desperdice seus argumentos com pessoas de espírito fraco, deixe elas em seu mundo de violência, as vezes o silêncio é a melhor resposta. Porém, algumas vezes não haverá escapatória, nesses momentos, use a violência sem ser usado por ela, sem sentir orgulho disso. O engraçado é a cara de surpresa das pessoas, ao ver uma pessoa pacífica precisando recorrer a este recurso. A mente humana é cheia de estereótipos, negue todos! Ninguém é totalmente isso ou totalmente aquilo, seja vegetariano, mas grite quando for necessário, argumente até o último instante para evitar um conflito violênto, abaixe a cabeça e peça desculpas, mesmo sabendo que tem a razão, mas se for inevitável, dê o primeiro soco.
A vida é assim mesmo, as pessoas mais espiritualizadas são também, as mais surpreendentes e imprevisíveis.

2 comentários:

Marielle Sant'Ana disse...

"A vida é assim mesmo, as pessoas mais espiritualizadas são também, as mais surpreendentes e imprevisíveis."

Essa frase realmente é muito boa. Quando uma pessoa tem uma forte espiritualização, ela tem compreensão não só de um lado da questão, mas do todo. Sendo assim, ela age não dentro de uma imagem projetada socialmente, mas da sua essência.

O místico reflete sobre o seu mundo íntimo e também o externo a ele. Se temos compreensão do que seja melhor para o mundo, nos esforçaremos por esse ideal. Então, seremos contra a não-violência e lutaremos pela paz.

Beijos, querido César!

Kamilly Cordeiro disse...

Hey fiz um novo blog, passe lá no meu boteco, se puder/quiser. Amplexos! Concordo com o texto, em todos os sentidos a violência deve ser a última alternativa.